Vitamina D encolhe tumores fibróides em ratos

News Release

Quinta-feira, 1 de março de 2012

Estudo financiado pelo NIH sugere possível tratamento para uma condição comum.

Tratamento com vitamina D reduziu o tamanho dos fibróides uterinos em ratos de laboratório predispostos a desenvolver os tumores benignos, relataram pesquisadores financiados pelos Institutos Nacionais de Saúde.

Os fibróides uterinos são os tumores não cancerígenos mais comuns em mulheres em idade fértil. Os fibróides crescem dentro e ao redor da parede do útero. Trinta por cento das mulheres de 25 a 44 anos de idade relatam sintomas relacionados com fibróides, tais como dor lombar, sangramento vaginal intenso ou períodos menstruais dolorosos. Os fibróides uterinos também estão associados à infertilidade e a complicações na gravidez, como aborto espontâneo ou parto pré-termo. Além da remoção cirúrgica do útero, existem poucas opções de tratamento para mulheres que apresentam sintomas graves relacionados com o fibroide e cerca de 200.000 mulheres americanas são submetidas ao procedimento a cada ano. Uma análise recente de cientistas do NIH estimou que o custo econômico dos fibróides para os Estados Unidos, em termos de gastos com saúde e perda de produtividade, pode exceder US$ 34 bilhões por ano.

Fibróides são três a quatro vezes mais comuns em mulheres afro-americanas do que em mulheres brancas. Além disso, as mulheres afro-americanas são cerca de 10 vezes mais propensas a apresentar deficiência de vitamina D do que as mulheres brancas. Em pesquisas anteriores, os autores do estudo descobriram que a vitamina D inibia o crescimento de células fibróides humanas em culturas laboratoriais.

“Os resultados do estudo fornecem uma nova pista promissora na busca de um tratamento não cirúrgico para fibróides que não afeta a fertilidade”, disse Louis De Paolo, Ph.D., chefe do Departamento de Ciências Reprodutivas do Instituto Nacional de Saúde Infantil e Desenvolvimento Humano Eunice Kennedy Shriver do NIH, que financiou o estudo.

Primeiro autor Sunil K. Halder, Ph.D., do Meharry Medical College em Nashville conduziu a pesquisa com os colegas Chakradhari Sharan, Ph.D., e Ayman Al-Hendy, M.D., Ph.D., e com Kevin G. Osteen, Ph.D., do Centro Médico da Universidade de Vanderbilt, também em Nashville. Os resultados apareceram online na revista Biologia da Reprodução.

Para o estudo atual, os pesquisadores testaram o tratamento com vitamina D em uma cepa de ratos geneticamente predispostos a desenvolver tumores fibróides. Após examinar os animais e confirmar a presença de fibróides em 12 deles, os pesquisadores dividiram os ratos em dois grupos de seis cada: os que receberiam vitamina D e os que não receberiam.

No primeiro grupo, pequenas bombas implantadas sob a pele entregaram uma dose contínua de vitamina D durante três semanas. Os pesquisadores então examinaram os animais em ambos os grupos. Os fibróides aumentaram de tamanho nos ratos não tratados, mas, nos ratos que recebiam vitamina D, os tumores tinham encolhido drasticamente. Em média, os fibróides uterinos do grupo que recebeu vitamina D eram 75% menores que os do grupo não tratado.

A quantidade de vitamina D que os ratos receberam a cada dia foi equivalente a uma dose humana de cerca de 1.400 unidades internacionais. A quantidade recomendada de vitamina D para adolescentes e adultos com 70 e menos anos é de 600 unidades diárias, embora até 4.000 unidades sejam consideradas seguras para crianças acima de 9 anos, adultos, e para mulheres grávidas e lactantes.

“Pesquisas adicionais são necessárias para confirmar a vitamina D como um tratamento potencial para mulheres com fibróides uterinos”, disse o Dr. Al-Hendy. “Mas também é um nutriente essencial para a saúde dos músculos, ossos e sistema imunológico, e é importante que todos recebam uma quantidade adequada da vitamina”.

Os peixes gordos como salmão, cavala e atum são as melhores fontes naturais da vitamina. Muito poucos alimentos contêm naturalmente vitamina D. O leite fortificado e outros alimentos fortificados fornecem uma fonte adicional da vitamina. A vitamina D também é produzida quando os raios ultravioletas da luz solar atingem a pele.

Sobre o Eunice Kennedy Shriver National Institute of Child Health and Human Development (NICHD): O NICHD patrocina pesquisas sobre desenvolvimento, antes e depois do nascimento; saúde materna, infantil e familiar; biologia reprodutiva e questões populacionais; e reabilitação médica. Para mais informações, visite o site do Instituto em http://www.nichd.nih.gov.

Sobre os Institutos Nacionais de Saúde (NIH):NIH, a agência de pesquisa médica do país, inclui 27 Institutos e Centros e é um componente do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos EUA. O NIH é a principal agência federal que conduz e apoia a investigação médica básica, clínica e translacional e está a investigar as causas, tratamentos e curas tanto para doenças comuns como para doenças raras. Para mais informações sobre o NIH e seus programas, visite www.nih.gov.

NIH…Transformando a Descoberta em Saúde®

###

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.