Autoconhecimento para Adolescentes – Actividades Motivacionais para Crianças

Se você é pai ou trabalha directamente com adolescentes, aqui pode ler sobre algumas competências sociais/emocionais concretas e actividades úteis que podem ajudar os adolescentes a praticá-las. Vamos cobrir informações básicas sobre habilidades de escuta, assertividade, consciência emocional e comunicação não verbal.

Por que praticar habilidades sociais/emocionais?

Se lhes chamamos soft skills, habilidades sociais/emocionais, inteligência social/emocional ou mentalidade de crescimento, há um consenso entre pesquisadores e profissionais de que precisamos de certas habilidades para atingir nosso potencial máximo na escola, em nossas carreiras profissionais e em nossas vidas privadas. Essas habilidades nos ajudam a reconhecer e gerenciar nossas emoções, lidar com obstáculos e desafios da vida, e melhorar as habilidades de comunicação e boas relações interpessoais (incluindo empatia).

EMPRESAS ONLINE AO ALUNO DE ESTUDANTES
MASTER HABILIDADES SOCIAIS/EMOCIONAIS

De acordo com uma análise de estudos longitudinais em nove países da OCDE publicada em Skills for Social Progress: The Power of Social and Emotional Skills by OECD in 2015:

“A capacidade das crianças para atingir objectivos, trabalhar eficazmente com os outros e gerir as emoções será essencial para enfrentar os desafios do século XXI.”

Além de reconhecer a importância das habilidades sociais/emocionais como a perseverança, sociabilidade e auto-estima, o relatório discute como os formuladores de políticas, escolas e famílias facilitam o desenvolvimento de habilidades sociais/emocionais através de programas de intervenção, ensino e práticas parentais.

Todas essas habilidades estão inter-relacionadas e seu desenvolvimento começa em casa e continua ao longo dos anos escolares. Se pais e adultos importantes demonstrarem um alto nível de maturidade social/emocional, será mais fácil para as crianças adquirirem essas habilidades simplesmente modelando seu comportamento.

No entanto, é sempre útil quando crianças e adolescentes têm a chance de praticar habilidades sociais/emocionais sob a orientação de adultos experientes. O melhor cenário é quando os programas para melhorar as habilidades sociais/emocionais são parte integrante de um sistema educacional e das iniciativas de uma comunidade local.

Below, vamos olhar para algumas habilidades sociais/emocionais importantes e sugerir atividades simples para praticá-las, ajustadas aos adolescentes.

A habilidade de comunicação social – Escutar

Ser capaz de ouvir o que as pessoas estão realmente dizendo é uma habilidade de comunicação valiosa que tem um grande impacto na qualidade das nossas relações com os outros. Provavelmente você já ouviu falar em Escuta Ativa, uma habilidade que nos permite ouvir não só as palavras que as pessoas estão dizendo, mas também as emoções que elas estão refletindo através de seu comportamento não-verbal. Ambas são importantes na compreensão de toda a mensagem a ser comunicada.

Esta é uma habilidade complexa que pode ser praticada. Na atividade seguinte, o foco é a prática da concentração; ouvir a mensagem verbal com atenção indivisível. Você pode praticar esta atividade com um grupo de adolescentes em sua casa, na sala de aula ou em um workshop.

Instrução

Primeiro, peça a todos os participantes que se sentem em círculo. A primeira pessoa começa a contar uma história (o que ela quiser). Depois de 3-5 frases, diga “pare” e escolha aleatoriamente outro participante para continuar. Esta pessoa agora tem que repetir a última frase dita e depois continuar a inventar a história. Se ele não conseguir repetir corretamente a última frase após cinco segundos, é desqualificado. O jogo continua com as mesmas regras e o vencedor é a última pessoa que permanece depois de todos os outros serem desclassificados.

Esta é a versão competitiva do jogo. No entanto, pode fazer a sua própria versão, sem desqualificações ou adicionar novos elementos que considere úteis.

Discutir

Participantes de sk para reflectir sobre o jogo. Quando e como a sua atenção foi distraída? O que os ajudou a concentrarem-se e a lembrarem-se da frase anterior?

Abter mais dicas e truques!

A habilidade de comunicação social – Assertividade

Assertividade, como um estilo de comunicação, é caracterizada pela capacidade de expressar directa e confiantemente a nossa genuína opinião, sentimentos ou atitudes, de modo a que os direitos dos outros e as circunstâncias sociais sejam respeitados.

Está provado que a assertividade afeta nossa auto-estima e autoconfiança, portanto não há dúvida de que a prática da assertividade é útil para os adolescentes. É uma habilidade complexa que pode ser adquirida através de um programa de treinamento liderado por um treinador/terapeuta treinado. No entanto, alguns aspectos da assertividade podem ser praticados através de exercícios simples em casa e em um ambiente escolar.

Talvez o ponto mais importante seja assegurar aos adolescentes que não há problema em reivindicar seus direitos e pedir, iniciar, expressar suas opiniões e sentimentos. Que não há problema em dizer NÃO a outras pessoas de forma respeitosa.

Neste exercício, o foco será encorajar os adolescentes a iniciar uma conversa na qual eles irão perguntar algo aos outros e expressar sua opinião ou sentimentos. Pode ser praticado como um desafio social dado aos adolescentes pelos pais ou professores.

Instrução

Primeiro, é criada uma lista de desafios sociais, levando em consideração a idade ou as necessidades sociais do adolescente. Os desafios podem ser anotados/impressos em cartões separados. Se der consentimento para participar no desafio, um adolescente tira um cartão aleatório e a sua tarefa é fazer o que é exigido no cartão nas próximas 24 horas ou durante vários dias, como você conjuntamente organiza.

Desafios podem ser praticados uma vez por semana ou de acordo com o horário que você concordar.

Exemplos de desafios sociais:

  • Dê um elogio honesto a alguém.
  • Aprenda duas coisas novas sobre alguém da sua turma.
  • Partilhe com um amigo o que tem estado na sua mente ultimamente.
  • Conte ao serviço de atendimento ao cliente na sua loja favorita e peça informações sobre algum produto que goste.
  • Diga ao seu melhor amigo o que você gosta nele.
  • >

  • Escreva um professor (ou um treinador) para esclarecer uma tarefa que você não entendeu completamente.

Discuta a tarefa

Depois da tarefa ter sido realizada, é importante discutir com o adolescente como o desafio particular o fez sentir. Será que ele achou fácil, difícil, constrangedor ou algo mais? Quais poderiam ser formas alternativas de perguntar, de se expressar? Como os outros reagiram?
A inspiração para esta actividade é retirada e ajustada do Speech Bubble SLP.

Eficiência emocional – Autoconhecimento emocional

Já escrevemos sobre autoconhecimento como a capacidade básica para compreender os nossos próprios processos internos e para nos relacionarmos adequadamente com os outros. A consciência emocional, neste contexto a capacidade de reconhecer nossos próprios sentimentos, é a base da inteligência emocional.

Além de nos ajudar a ter consciência de nossas emoções, estas habilidades são importantes para o desenvolvimento da inteligência emocional, de acordo com Daniel Goleman e seu livro best-seller Inteligência Emocional. Compreender porque nos sentimos de uma certa forma e saber como lidar com estes sentimentos, incluindo a auto-motivação; a capacidade de reconhecer os sentimentos dos outros (empatia) e motivá-los – estas habilidades são cruciais para o sucesso e felicidade em cada aspecto das nossas vidas e nas nossas relações com os outros.

Na actividade seguinte, o foco está em entrar em contacto com oito emoções que um adolescente escolhe, aumentando a consciência de como uma determinada emoção se manifesta, e como afecta a vida do adolescente. Baseia-se nos princípios da arteterapia e é realizada individualmente. No entanto, também pode ser praticada em grupo. Você precisa de um papel branco e marcadores coloridos.

Instrução

Primeiro, peça a um adolescente para desenhar um círculo e dividi-lo em oito tortas. Depois, peça-lhe que dedique cada torta a uma emoção e preencha cada torta com uma cor ou imagens correspondentes à sua ideia do que a emoção significa para ele. Pode ser que um adolescente tenha um problema com oito emoções. Você pode ajudá-lo, mas nunca escolha em vez dele. Não o pressiones se ele não conseguir criar oito. Trabalhe com o que ele conseguir apresentar.

Discuta

Depois do desenho, inicie um diálogo. Você pode achar estas perguntas úteis: O que significa cada imagem para si? O que o levou a escolher essas cores particulares? Quando na sua vida você experimenta essa emoção? Que emoção é dominante para você hoje em dia? Qual emoção é a mais difícil de lidar? E assim por diante.

Se um adolescente tem um problema em criar emoções, pode usar a roda de emoções de Plutchik para o ajudar a reconhecer as emoções em que gostaria de trabalhar.

Este exercício é tirado e ajustado das directivas Art therapy BlogSpot.

Habilidades sociais/emocionais – Compreender a comunicação não-verbal

A boa compreensão da comunicação não-verbal é um sinal de inteligência social e emocional.

A capacidade de observar e compreender sinais não-verbais durante a comunicação, ou qualquer outra interacção entre as pessoas, dá-nos uma tremenda informação sobre a mensagem real que está a ser comunicada. É especialmente importante quando notamos que a mensagem verbal e o comportamento não-verbal não estão harmonizados. Também nos dá uma pista sobre os motivos da pessoa com quem nos estamos a comunicar ou o seu estado emocional.

Além do que é dito, é sempre importante seguir COMO é dito. Os aspectos básicos não-verbais do comportamento humano a serem considerados incluem contato visual, tom de voz, expressão facial, gestos, distância pessoal, linguagem corporal e postura.

A seguinte atividade, baseada na metodologia de atuação e improvisação, foca no reconhecimento do estado emocional dos participantes expostos a situações sociais simuladas, através da observação apenas de seu comportamento não-verbal. Para esta actividade é necessário um grupo.

Instrução

Uma voluntária do grupo para deixar a sala. Instruções separadas são dadas a ele/ela e ao grupo, que fica na sala a fim de se preparar para a cena final. Enquanto o voluntário está fora, cada indivíduo do grupo tem que escolher uma emoção e deve expressar essa emoção apenas através de um comportamento não-verbal (representação). Lembre-os dos diferentes aspectos da comunicação não-verbal.

Mean enquanto isso, ao voluntário do lado de fora é dada a tarefa de apresentar várias situações sociais familiares aos adolescentes, tais como: nas aulas; durante o jantar em família; em um encontro; em uma festa de aniversário; trabalhando nos deveres de casa, etc.

Finalmente, quando o voluntário está de volta à sala, ele prepara a cena: Você está na aula (por exemplo). Todos os membros do grupo agem como se estivessem na sala de aula, inclusive expressando seu estado emocional escolhido de forma não-verbal. Eles podem usar sua voz, mas apenas sob a forma de sons inarticulados. O voluntário observa seu comportamento e tenta adivinhar como eles se sentem. Se ele estiver confuso, pode colocá-los em outra situação social (ou apenas por diversão:). O jogo pode ser repetido várias vezes com diferentes voluntários, emoções para adivinhar, e situações sociais.

Discutir

Após ser revelada qual emoção foi apresentada por cada membro do grupo, segue-se uma discussão. Você pode achar estas perguntas úteis: Quais são os principais indicadores não verbais desta emoção? Como você se sentiu enquanto atuava? Alguém teve dificuldades em actuar nas cenas (porquê)? O que você costuma fazer quando se sente (esta emoção em particular)? O que você geralmente faz quando reconhece alguém agindo assim? Houve algo confuso e o quê? – Uma pergunta para o voluntário.

Dependente do tempo disponível e do objetivo do seu trabalho de grupo, você pode ir ainda mais fundo em uma conversa sobre determinadas emoções. Se estiver interessado em actividades úteis para o desenvolvimento emocional dos adolescentes, poderá gostar deste artigo.

Precisa de mais conselhos relacionados com o desenvolvimento social/emocional do seu filho(a) adolescente? Você veio ao lugar certo!

>

Reserve a sua CONSULTA GRATUITA com um dos nossos treinadores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.